Se você não conseguir editar a wiki após o login, você precisará solicitar direitos de edição usando este formulário. Você será notificado assim que tais direitos de edição lhe forem concedidos.

Pernambuco, Brasil - Genealogia

Fonte: FamilySearch Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Brasil Gotoarrow.png Pernambuco

Tópicos de Pesquisa do Brasil
Bandeira do Brasil
Iniciando Pesquisa
Tipos de Registros
Brasil Panorâmica
Etnia
Recursos de Pesquisa Local
Moderador
O moderator da Wiki do FamilySearch para o Brasil é Adriano Almeida


Mapa localizacao Pernambuco no Brasil






Pernambuco é uma das 27 unidades federativas do Brasil, situando-se na região Nordeste. Faz divisa com os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba e Piauí, além do Oceano Atlântico. Possui área territorial de 98.311,616 km² (19º estado em tamanho), que engloba 185 municípios, sendo Recife a capital do estado.

História[editar | editar código-fonte]

A História de Pernambuco é marcada por conflitos entre indígenas e portugueses, dominação holandesa e até mesmo uma tentativa de independência.

Descubra a história de um dos mais antigos estados do Brasil:

Em 1501, a expedição do navegador Gaspar de Lemos fundou feitorias no litoral da colônia portuguesa. Nessa época, teve início o processo de colonização de Pernambuco.

Entre 1534 e 1536, Dom João III, rei de Portugal, instalou o sistema de Capitanias Hereditárias no Brasil e dentre os primeiros 14 lotes distribuídos estava a Capitania de Pernambuco, chamada de Nova Lusitânia. Seu donatário era Duarte Coelho, que assim a batizou. Em 1535, ele se estabeleceu no local onde fundou a vila de Olinda.

No período colonial o estado tornou-se um grande produtor de açúcar, sendo responsável por mais de metade das exportações brasileiras. Sua prosperidade, entretanto, chamou a atenção dos holandeses, que, entre 1630 e 1654, ocuparam a região, sob o comando de Mauricio de Nassau que se estabeleceu no Recife, fazendo-a capital do Brasil holandês. Nassau realiza várias obras de urbanização, amplia a lavoura da cana fazendo o estado pernambucano prosperar.

Indígenas[editar | editar código-fonte]

O território onde hoje é o estado de Pernambuco era povoado por diversas tribos indígenas como caetés, cariris e tabajaras, dentre outras etnias.

Cada uma tinha sua língua e costumes e muitas vezes eram inimigas entre si. Este fato foi importante para os europeus, pois estes faziam alianças com diversos povos indígenas a fim de conquistar o território.

Colonização[editar | editar código-fonte]

Através do sistema de Capitanias Hereditárias, Duarte Coelho tomou posse da Capitania de Pernambuco, chamada inicialmente de Capitania Nova Lusitânia. Em 1535 foi fundado o povoado de Olinda e em 1537, esta passou a ser Vila.

Igualmente, em 1537, foi fundada a cidade de Recife.

Nem todas as Capitanias Hereditárias foram bem-sucedidas, mas graças ao cultivo da cana-de-açúcar, a Capitania de Pernambuco prosperou.

A princípio, os portugueses utilizaram a mão de obra escrava indígena na lavoura da cana.

No entanto, os senhores de engenho passam a usar escravos negros nas plantações, devido ao lucrativo comércio de escravos com as colônias portuguesas na África.

Território[editar | editar código-fonte]

A Capitania de Pernambuco compreendia um território bem maior que o atual. Incorporava o que chamamos hoje de estados da Paraíba, Rio Grande do Norte, Alagoas, Ceará e parte da Bahia.

Território aproximado da Capitania de Pernambuco.

Captura de Recife[editar | editar código-fonte]

Já no final do século 16, a Capitania de Pernambuco se tornara uma das mais ricas da colônia. Este fato atraiu a atenção de ingleses, holandeses e franceses que organizaram expedições para tomar a então capital, Olinda.

Importante lembrar que, nesta época, Portugal estava unido à Espanha, no que chamamos de União Ibérica. Por sua vez, a Espanha estava em guerra com a Inglaterra e a Holanda.

Assim, tanto fazia invadir Olinda como Sevilha. Os ingleses, aliados com os holandeses, tomaram Recife em 1595 e levaram vários produtos valiosos como o açúcar, madeiras e algodão.

A partir daí, a Capitania organizou duas companhias para a defesa de Recife e de Olinda.

Ocupação Holandesa (1630-1645)[editar | editar código-fonte]

A invasão holandesa tem início na Bahia em 1624. Foram expulsos da capital graças à ação de uma armada luso-espanhola um ano depois.

No entanto, voltariam à carga para conquistar um pedaço do comércio açucareiro invadindo Recife e Olinda, em 1630.

Apesar dos ferozes combates – Olinda foi incendiada – os holandeses se estabeleceram naquelas terras até a eclosão da Insurreição Pernambucana em 1645.

Municípios[editar | editar código-fonte]

Os 185 municípios que formam o estado de Pernambuco são:

Abreu e Lima Cedro Jupi Santa Cruz
Afogados da Ingazeira Chã de Alegria Jurema Santa Cruz da Baixa Verde
Afrânio Chã Grande Lagoa do Carro Santa Cruz do Capibaribe
Agrestina Condado Lagoa do Itaenga Santa Filomena
Água Preta Correntes Lagoa do Ouro Santa Maria da Boa Vista
Águas Belas Cortês Lagoa dos Gatos Santa Maria do Cambucá
Alagoinha Cumaru Lagoa Grande Santa Terezinha
Aliança Cupira Lajedo São Benedito do Sul
Altinho Custódia Limoeiro São Bento do Una
Amaraji Dormentes Macaparana São Caitano
Angelim Escada Machados São João
Araçoiaba Exu Manari São Joaquim do Monte
Araripina Feira Nova Maraial São José da Coroa Grande
Arcoverde Fernando de Noronha Mirandiba São José do Belmonte
Barra de Guabiraba Ferreiros Moreilândia São José do Egito
Barreiros Flores Moreno São Lourenço da Mata
Belém de Maria Floresta Nazaré da Mata São Vicente Ferrer
Belém de São Francisco Frei Miguelinho Olinda Serra Talhada
Belo Jardim Gameleira Orobó Serrita
Betânia Garanhuns Orocó Sertânia
Bezerros Glória do Goitá Ouricuri Sirinhaém
Bodocó Goiana Palmares Solidão
Bom Conselho Granito Palmeirina Surubim
Bom Jardim Gravatá Panelas Tabira
Bonito Iati Paranatama Tacaimbó
Brejão Ibimirim Parnamirim Tacaratu
Brejinho Ibirajuba Passira Tamandaré
Brejo da Madre de Deus Igarassu Paudalho Taquaritinga do Norte
Buenos Aires Iguaraci Paulista Terezinha
Buíque Ilha de Itamaracá Pedra Terra Nova
Cabo de Santo Agostinho Inajá Pesqueira Timbaúba
Cabrobó Ingazeira Petrolândia Toritama
Cachoeirinha Ipojuca Petrolina Tracunhaém
Caetés Ipubi Poção Trindade
Calçado Itacuruba Pombos Triunfo
Calumbi Itaíba Primavera Tupanatinga
Camaragibe Itambé Quipapá Tuparetama
Camocim de São Félix Itapetim Quixaba Venturosa
Camutanga Itapissuma Recife Verdejante
Canhotinho Itaquitinga Riacho das Almas Vertente do Lério
Capoeiras Jaboatão dos Guararapes Ribeirão Vertentes
Carnaíba Jaqueira Rio Formoso Vicência
Carnaubeira da Penha Jataúba Sairé Vitória de Santo Antão
Carpina Jatobá Salgadinho Xexéu
Caruaru João Alfredo Salgueiro
Casinhas Joaquim Nabuco Saloá
Catende Jucati Sanharó

Recursos de Pesquisa[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Estudo de Pernambuco - Sociedade, Espaço e Cultura - Editora: Ática
  • ALENCAR, Alfredo Pequeno de Arraes - Genealogia de Parte da Família Arraes. Revista Itaytera nº 30, 1986.
  • ALMANACH 1910 - www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do
  • ALVES, Odete de Andrada - Do Âmago da Memória. Recife: Bargaço, 2003. 376p.
  • CAMPOS, Maria Stella Barros de Siqueira - FLORES, CAMPOS, BARROS E CARVALHO. Editora Comunicarte. Recife, 1999.
  • DE CARLI, Caetano e outros - A FAMÍLIA ESCRAVA NO SERTÃO PERNAMBUCANO (1850/1888) bdtd.ibict.br/vufind/Record/UNB_64c05e10dc7702b54e8f5e168688acdc
  • CARVALHO, Abimael Clementino de - Família Coelho Rodrigues.
  • CARVALHO, Jonas de Sá - GENEALOGIA DA FAMÍLIA PANELA D'ÁGUA. Recife, 1996.
  • CARVALHO, Nivaldo Alves de - GENEALOGIA DA FAMÍLIA CARVALHO DE PANELA D'ÁGUA. Inédito.
  • CURCIO, Umbelina Leônidas e SESSEGOLO, Flávia Curcio - Família Coelho. Porto Alegre. RS: Arquivo em PDF, 2005, 2ª Edição. 248p.
  • FERRAZ TORRES, UM BRAVO MILITAR (1894 - 1933). 2 Volumes. Recife, 2003.
  • FERREIRA, Edgardo Pires - A mística do parentesco; Uma genealogia inacabada
  • GOMINHO, Leonardo Ferraz - FLORESTA - UMA TERRA, UM POVO. Centro de Estudos de História Municipal. Coleção Tempo Municipal, 14 e 15. Floresta, 1996.
  • GOMINHO, Leonardo Ferraz - A REBELIÃO DA SERRA NEGRA - A PRAIEIRA NO SERTÃO. Recife, 1993.
  • GOMINHO, Leonardo Ferraz - FLORESTA - ICONOGRAFIA. Recife, 1989.
  • GOMINHO, Fortunato de Sá - MEMÓRIAS. Recife, 1993.
  • HOLANDA, Bartolomeu Buarque de - Buarque: uma família brasileira: ensaio histórico-genealógico. Rio de Janeiro, 2007. Veja partes do livro no google books
  • LEITE, Marlindo Pires - FAZENDA PANELA D'ÁGUA: GENEALOGIA SÉCULOS XVII - XX, Belém do São Francisco, 1994.

MANUSCRITO - Notícia de famílias importantes como Albuquerque e Cavalcanti, Teixeira Ribeiro, Teixeira Cavalcanti dentro da história da capitania de Pernambuco

objdigital.bn.br/acervo_digital/div_manuscritos/cmc_ms618_10_14/cmc_ms618_10_14.pdf

  • MOREIRA, José Roberto de Alencar - História da Familia Seixas de Alencar. Brasília, 2000.
  • NEVES, Napoleão Tavares - GENEALOGIA DA FAMÍLIA CRUZ NEVES, Relação elaborada em 21.01.1985.
  • NOGUEIRA, Djanira Leal - MINHA FAMÍLIA (PERFIS). Recife, 1990.
  • NOVAES Filho, Damásio Tiburtino - Levantamento genealógico dos descendentes de José Alves da Luz e Mariana Alves D'Assunção, bisneta de Manoel Lopes Diniz. Inédito.
  • OLIVA, Frei Félix de, O.F.M. Cap. - D. FREI VITAL MARIA GONÇALVES DE OLIVEIRA dos PP. Capuchinhos - Bispo de Olinda. Escola Gráfica Editora. Recife, 1963.
  • REVISTA do Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico Pernambucano - 1900  www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do
  • ROSA, Hildo Leal da - Pesquisa realizada no Arquivo Distrital do Porto, Portugal, entre 1997 e 1998. Inédito.
  • SIMOES LOPES Filho, Joao e CASCAO Regina - Genealogia Pernambucana na internet www.cbg.org.br/cartamensal/CM68.pdf
  • TORRES Filho, Geraldo Ferraz de Sá - PERNAMBUCO NO TEMPO DO CANGAÇO. THEOPHANES
  • WILSON, Luiz - ROTEIRO DE VELHOS E GRANDES SERTANEJOS. Centro de Estudos de História Municipal. Biblioteca Pernambucana de História Municipal, 6, 7 e 8. Recife, 1978.
  • RECENSEAMENTO EM PERNAMBUCO 1872, da colecao memoria estatistica do Brasi, do Ministerio da Fazenda do Rio de Janeiro, in archive.org/details/recenseamento1872pe

Cemitérios[editar | editar código-fonte]

Para informações sobre cemitérios, busque a página da cidade de seu interesse.

Centros de História da Família (CHF)[editar | editar código-fonte]

Instituições[editar | editar código-fonte]

Governo de Pernambuco

  • Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano - APEJE

Rua do Imperador D. Pedro II, 371 - Santo Antônio - Recife - PE - CEP. 50010-240
Tel: (81) 3181-4126

  • Fundação Centro de Preservação dos Sítios Históricos de Olinda

Rua de São Bento, 160- Varadouro
CEP: 53020-080- Olinda, PE

Páginas Diversas[editar | editar código-fonte]

Páginas Pessoais[editar | editar código-fonte]

Família Breves

Genealogia Pernambucana

Registros no FamilySearch[editar | editar código-fonte]

Referências desta página[editar | editar código-fonte]

  1. http://cod.ibge.gov.br/232NI
  2. https://pt.wikipedia.org/wiki/Pernambuco
  3. https://pt.wikipedia.org/wiki/História_de_Pernambuco
  4. http://mapasblog.blogspot.com.br
  5. http://www.conarq.gov.br/links/386-arquivos-p%C3%BAblicos-estaduais-e-do-distrito-federal.html
  6. http://www.asbrap.org.br/publicac/Links/arquivosnacionais.htm