Se você não conseguir editar a wiki após o login, você precisará solicitar direitos de edição usando este formulário. Você será notificado assim que tais direitos de edição lhe forem concedidos.

Nova Iguaçu, Rio de Janeiro - Genealogia

Fonte: FamilySearch Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Brasil Gotoarrow.png Rio de Janeiro Gotoarrow.png Nova Iguaçu

(Inclua nesta página dados deste município. As informações em itálico são apenas orientações e deverão ser suprimidas assim que os conteúdos forem incluídos.)

NovaIguacuRJ.svg.png

Localização: Mesorregião Metropolitana do Rio de Janeiro
Área: 523,888 km²
Distância da Capital: 28 km

Datas[editar | editar código-fonte]

(Inclua datas históricas relacionadas ao município, como data de fundação, emancipação política, etc.)

Antigas Denominações[editar | editar código-fonte]

Santana das Palmeiras ou Freguesia de Nossa Senhora de Santana.

- Historia -[1]

- Igreja Nossa Senhora de Santana das Palmeira - [2]

- “Cidade Perfume” por causa do cheiro das frutas

- Arraial de Maxambomba (Maxabomba)

Municípios Circunvizinhos[editar | editar código-fonte]

Localidades[editar | editar código-fonte]

No século XX, a principal atividade do Município passa a ser o plantio de laranjas. Os pomares de Nova Iguaçu se estendiam por toda a Estrada de Madureira, Cabuçu, Marapicu, alcançando também Itaguaí. Na época, Nova Iguaçu ficou conhecida como “Cidade Perfume” por causa do cheiro das frutas.tória

Após a divisão do Brasil em Capitanias Hereditárias, as terras que hoje constituem o município de Nova Iguaçu ficaram por muito tempo relegadas a completo abandono. Foi depois de 1566 que se registrou na região a existência de sesmarias, as quais, com o correr dos anos, se foram modificando e concorrendo, desse modo, para a gradativa colonização dessa zona da Baixada Fluminense, em torno dos rios, especialmente do Iguaçu.

Com o aumento da população, surgiram várias freguesias, destacando-se a de Nossa Senhora da Piedade de Iguaçu - também conhecida como Nossa Senhora da Piedade do Caminho Velho -, cuja criação data de 1719.

A prosperidade agrícola da região vem dos tempos em que foram concedidas as primeiras sesmarias. Os cursos fluviais existentes, não só fertilizavam as terras, como também serviam de via de comunicação com a cidade do Rio de Janeiro, para onde se escoava a produção.

Situada à margem do rio Iguaçu, a sede da vila prosperou bastante, chegou a tornar-se um dos empórios da cidade do Rio de Janeiro, fazendo chegar seus produtos por via fluvial ou terrestre. O progresso da região levou o Governo a conceder-lhe autonomia, efetivada por Decreto de 15 de janeiro de 1833. A Vila instalou-se a 27 de julho do mesmo ano.

A decadência, que se verificou a partir da segunda metade do século XIX, na localidade de Iguaçu, decorreu, paradoxalmente, das inovações progressistas introduzidas no território fluminense.

Tão logo se iniciou o tráfego da Estrada de Ferro D. Pedro II, atual Central do Brasil, verificou-se o abandono da via fluvial, que determinou o desvio da zona da influência comercial e agrícola para as bordas orientais do município.

Com a realização das grandes obras de saneamento na Baixada Fluminense, o município voltou a progredir. Para esse ressurgimento, muito contribuíram as facilidades de comunicação com a Guanabara.

O Município de Iguassú foi criado no dia 15 de janeiro de 1833, com sua sede instalada às margens do Rio Iguassú, que serviu de inspiração para o seu nome. Ele surgiu a partir da Vila de Iguassú – uma localidade que desde o século XVIII era utilizada como pouso de tropeiros que faziam o Caminho de Terra Firme. Ainda em 1822, durante o Ciclo do Café, foi aberta a Estrada Real do Comércio, que em conexão com os portos de Iguassú, escoava a produção de cana-de-açúcar e do café plantado nas serras. O movimento foi tão expressivo que provocou a mudança do status de Vila para Município.

Em 1858, com a inauguração da Estrada de Ferro Dom Pedro II, iniciou-se o crescimento do Arraial de Maxambomba. Por conta disso, foi realizada a transferência da sede do município para um novo centro econômico. Em 1916, Maxambomba passa a se chamar Nova Iguassú.

No século XX, a principal atividade do Município passa a ser o plantio de laranjas. Os pomares de Nova Iguaçu se estendiam por toda a Estrada de Madureira, Cabuçu, Marapicu, alcançando também Itaguaí. Na época, Nova Iguaçu ficou conhecida como “Cidade Perfume” por causa do cheiro das frutas. Porém, diante de forte influência da Segunda Guerra Mundial, aconteceu a explosão demográfica da Baixada Fluminense e do Rio de Janeiro. Seu cultivo e exportação da laranja entraram em decadência levando a economia da cidade, o que culminou na divisão do território.

Foi a partir da década de 40 que surgiu o processo de emancipação do Município. Nova Iguaçu perdeu Duque de Caxias (1943), Nilópolis e São João de Meriti (1947). Nos anos 90, foi a vez de Belford Roxo e Queimados (1990), Japeri (1991) e Mesquita (1999). Vale lembrar que em 1952, com a inauguração da Rodovia Presidente Dutra e a recuperação da malha ferroviária, a cidade passou por um aumento populacional e assumiu outras funções, entre elas, a de cidade dormitório e de corredor de acesso à capital.

Famílias Tradicionais[editar | editar código-fonte]

(Relacione as famílias mais antigas e tradicionais do município, por ordem alfabética de sobrenome e separado por vírgulas.)

Instituições[editar | editar código-fonte]

Cartórios de Registro Civil, Notas e similares[editar | editar código-fonte]

Ofício de registro civil das pessoas naturais – 1ª circunscrição

Nome Fantasia: RCPN da 1ª Circunscrição de Nova Iguaçu.

Telefone: (0xx21) 2767-9541

Email: rcpn1.ni@veloxmail.com.br

Horário de Atendimento: De 2ª a 6ª feira, das 9h às 18h.

Endereço: Rua Dr. Getúlio Vargas, 109

Bairro: Centro

Cidade: Nova Iguaçu

CEP: 26255-060

(Inclua as unidades cartoriais do município, bem como endereço, telefone, e-mails e links para páginas virtuais, se houver.)

Cemitérios[editar | editar código-fonte]

(Inclua o(s) nome(s) do(s) cemitério(s) do município, tanto públicos quanto particulares, bem como endereço, telefone, e-mails e links para páginas virtuais, se houver)

Centros de História da Família[editar | editar código-fonte]

(Inclua o(s) nome(s) do(s) Centro(s) de História da Família existente(s) no município. Utilize a opção Inserir Hiperlink para ligá-lo à página do Centro na Wiki.)

Locais de Registros Religiosos[editar | editar código-fonte]

(Inclua as igrejas e outras instituições ligadas a estas, como dioceses, arquidioceses e escritórios, existentes no municípios, bem como endereço, telefone, e-mails e links para páginas virtuais, se houver.)

Catedral de Santo Antonio de Jacutinga - [3]

Igreja de Nossa Senhora da Conceicao de Marapicu - [4]

Igreja de Nossa Senhora da Piedade de Iguaçu - [5]

Outros Locais e Instituições[editar | editar código-fonte]

(Inclua Associações, Arquivos Públicos, Bibliotecas, Institutos Históricos, Museus, Prefeituras e qualquer outra instituição que possa conter acervo de interesse para a História da Família ou que possa servir de meio para contato no município; inclua endereços, telefones para contato, e-mails e links para páginas virtuais, se houver. Relacione-os em ordem alfabética.)

Outros Recursos de Pesquisa[editar | editar código-fonte]

(Inclua outros recursos que possam ser utilizados para pesquisa específica no município, como comunidades online, páginas pessoais, etc.)

Bibliografias[editar | editar código-fonte]

(Inclua livros já publicados relacionados à localidade.)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. https://pt.wikipedia.org/wiki/Nova_Iguaçu
  2. http://cod.ibge.gov.br/233VM
  3. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/nova-iguacu/historico
  4. http://www.novaiguacu.rj.gov.br/cidade/
  5. https://pt.wikipedia.org/wiki/Nova_Igua%C3%A7u
  6. https://especiais.gazetadopovo.com.br/cartorios/nova-iguacu-rj