Se você não conseguir editar a wiki após o login, você precisará solicitar direitos de edição usando este formulário. Você será notificado assim que tais direitos de edição lhe forem concedidos.

Guarujá, São Paulo - Genealogia

Fonte: FamilySearch Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Brasil Gotoarrow.png São Paulo Gotoarrow.png Guarujá

Guaruja-sp.jpg

(Inclua nesta página dados deste município. As informações em itálico são apenas orientações e deverão ser suprimidas assim que os conteúdos forem incluídos.)

GuarujaSP.svg.png

Localização: Mesorregião Metropolitana de São Paulo
Área: 142,589 km²
Distância da Capital: 95 km

Datas
[editar | editar código-fonte]

A cidade de Guarujá, situada na Ilha de Santo Amaro, foi visitada pela primeira vez no dia 22 de Janeiro de 1502 pelos exploradores portugueses André Gonçalves, Américo Vespúcio e suas armadas. Mais precisamente, essa visita ocorreu na parte ocidental da ilha, conhecida atualmente como Praia Santa Cruz dos Navegantes;

Em 1832 por um decreto imperial, Guarujá passou a condição de Vila;

Em 1893, Guarujá foi promovida a Vila Balneária de Guarujá. Para isso foram encomendados dos Estados Unidos um hotel, uma igreja, um cassino e 46 chalés residenciais desmontáveis. Além de receber serviços de água, esgoto e luz elétrica;

Em 30 de Junho de 1934 a cidade recebeu o título de Estância Balneária e em 1947 passou a ser considerada município devido ao seu crescimento contínuo;

Guarujá foi reconhecido internacionalmente, na década de 70, com o título de “Pérola do Atlântico” devido a sua natureza exuberante espalhada por 27 praias, o que atraia muito os turistas para a região.


Fonte da pesquisa: http://portal.guaruja.sp.gov.br/historia-e-cultura/

  • 1922 - Distrito criado com a denominação de Guarujá, subordinado ao município de Santos.
  • 1934 - Elevado à categoria de município com a denominação de Guarujá, desmembrado do município de Santos.

Antigas Denominações
[editar | editar código-fonte]

(Inclua antigos nomes que o município tenha tido.)

Municípios Circunvizinhos
[editar | editar código-fonte]

Localidades
[editar | editar código-fonte]

O município é constituído de 2 distritos: Guarujá e Vicente de Carvalho.


História
[editar | editar código-fonte]

RESUMO HISTÓRICO E CULTURA

Nos primórdios do período colonial, a Ilha de Santo Amaro (hoje município de Guarujá) e a vila de Bertioga eram consideradas estratégicas para povoamento e consequente proteção territorial da Capitania de São Vicente, mas tal intento era obstado pelos constantes ataques indígenas especialmente por parte dos tupinambás aos colonizadores que ali se fixavam. Diante de tal quadro, foram providenciadas no século XVI fortificações em ambos os lados do Canal de Bertioga. O Forte de São Tiago (posteriormente denominado Forte São João), na Vila de Bertioga, e o Forte de São Felipe (depois chamado de Forte São Luís), na extremidade da Ilha de Santo Amaro (hoje Prainha Branca/Ponta da Armação), eram, no entanto, construções precárias que não cumpriram com eficiência sua função defensiva, como atesta o fato de Hans Staden, militar e viajante alemão que foi condestável do Forte de São Felipe por mais de dois anos, ter sido aprisionado em um dos ataques dos tupinambás à Ilha de Santo Amaro;

A Ilha de Santo Amaro surge em sua atual forma no final da Era Glacial, entre 20 e 0 mil anos, quando o Canal de Bertioga e o Estuário de Santos são abertos com a contínua elevação do nível do Oceano Atlântico e criam a atual ilha, a separando do continente.

Os primeiros habitantes foram os homens dos sambaquis, grupo humano que habitou o litoral sul/sudeste brasileiro após o final da Era Glacial. Este povo vivia da coleta de moluscos, conchas, mexilhões e demais alimentos marinhos, bem como alimentos vegetais e caça de pequenos animais e peixes. Não conheciam a agricultura e seu único registro conhecido são os montes de restos de conchas espalhados pelo litoral, chamados de sambaquis. Em Guarujá, foram localizados sambaquis nas praias da Ilha do Mar Casado e Pernambuco.

Após a era dos sambaquis, a ilha passa a ser visitada por grupos tupi, que deram o primeiro nome à ilha: Guaibê (lugar de caranguejos) e também Guaru-ya (passagem estreita). Os tupis não habitaram a ilha, permanecendo no entorno da Serra do Mar e no Planalto Paulista, mas utilizavam a ilha para a colheita de sal e pesca.

A cidade de Guarujá, situada na Ilha de Santo Amaro, foi visitada pela primeira vez no dia 22 de Janeiro de 1502 pelos exploradores portugueses André Gonçalves, Américo Vespúcio e suas armadas. Mais precisamente, essa visita ocorreu na parte ocidental da ilha, conhecida atualmente como Praia Santa Cruz dos Navegantes.

Contudo, devido à topografia, hostilidade indígena e áreas pantanosas a cidade ficou por mais de 300 anos abandonada. Em função dessas condições, a Ilha teve pouca atividade econômica nesse período, havendo apenas extração de óleo de baleias, pesca e alguns engenhos de cana de açúcar. Afinal, a palavra Guarujá, para alguns autores, vem de guaruya, que significa “viveiros de sapos e rãs”. Segundo (Francisco Martins dos Santos 1996, apud Novo Milênio), a palavra Guarujá significa "abertura de um lado a outro" aludindo ao antigo aglomerado de rochas que separa a Praia de Pitangueiras da Praia de Guarujá, atual Praia das Astúrias.

Com o passar do tempo as pessoas que viviam dessa economia foram formando um pequeno povoado, sendo assim, por um decreto imperial de 1832, Guarujá passou a condição de Vila.

Em 1893, Guarujá foi promovida a Vila Balneária de Guarujá. Para isso foram encomendados dos Estados Unidos um hotel, uma igreja, um cassino e 46 chalés residenciais desmontáveis. Além de receber serviços de água, esgoto e luz elétrica.

Em 30 de Junho de 1934 a cidade recebeu o título de Estância Balneária e em 1947 passou a ser considerada município devido ao seu crescimento contínuo.

Com uma natureza exuberante espalhada por 27 praias com belezas totalmente diferentes que atraiam os turistas para a região, Guarujá foi reconhecido internacionalmente, na década de 70, com o título de “Pérola do Atlântico”.

Atualmente a cidade continua a ser referência nacional na qualidade de suas praias, o desenvolvimento econômico das últimas décadas trouxe grandes investimentos ao setor portuário, náutico, hoteleiro, empresarial, imobiliário e do comércio. Hoje Guarujá é o destino ideal para quem quer desfrutar das belezas naturais e garantir e um passeio com muita diversão e cultura.


ILHA DO ARVOREDO

A ilha do arvoredo está localizada em frente à praia de Pernambuco, a 1,6 km da costa. Com uma área de 36 mil metros quadrados, a ilha serve de palco para pesquisas ecológicas e científicas. Foi cedida em 1950 pelo Serviço de Patrimônio da União ao engenheiro mecânico Fernando Eduardo Lee para fins científicos. Após a morte do seu idealizador em 1994, a ilha passou a ser administrada pela Universidade de Ribeirão Preto que atualmente está à frente da direção da Fundação que leva o nome do engenheiro. A ilha é auto sustentável, com sistemas de captação de água potável, energia solar e eólica, o acesso à ilha é feito pelo mar e pela phoenix de concreto que está a mais de trinta metros de altura e serve como trava para o guindaste que iça os visitantes através de uma cesta. A visitação ao local é controlada pela fundação.


PAVILHÃO DA MARIA FUMAÇA

Para facilitar o acesso dos turistas à Estância Balneária de Guarujá, em 1892 foi iniciada a construção do Tramway do Guarujá. Sendo esta inaugurada em 2 de setembro de 1893. Os turistas que se destinavam ao Guarujá naquela época tomavam um pequeno vapor no porto de Santos, chamado Cidade de São Paulo, que atravessava o estuário até o Itapema. Lá havia uma estação onde os turistas pegavam a Maria Fumaça, trem a vapor que seguia até a frente do Grande Hotel, na praia das Pitangueiras. O trem do Guarujá incluía também um pequeno ramal entre o Guarujá e o atual bairro de Santa Rosa, em frente ao bairro da Ponta da Praia em Santos, com extensão aproximada de três quilômetros. No final da década de 1910 esse ramal foi desativado, sendo construída uma estrada de rodagem. Em 19 de Janeiro de 1918 é implantado um serviço de balsas entre a Ponta da Praia e Santa Rosa, viabilizando o tráfego direto de automóveis entre Santos e o Guarujá. Quase quarenta anos depois, é desativado o Tramway do Guarujá. O serviço de transporte sobre acabou em 13 de julho de 1956. A visitação é gratuita e o pavilhão está exposto no cruzamento da Avenida Puglise com a Avenida Leomil no centro da cidade.


PAVILHÃO DO CARRO FÚNEBRE DE SANTOS DUMONT

O carro fúnebre que transportou o corpo de Alberto Santos Dumont (o pai da aviação), falecido em 1932 na cidade de Guarujá, está localizado na Avenida Puglisi em frente ao Pavilhão da Maria Fumaça. Um Chevrolet Ramona, fabricado em 1929, construído quase totalmente em madeira, sendo uma raridade que mantém todas as características originais, inclusive o motor seis cilindros.

No dia do funeral, o carro passou pela Av. Puglisi seguindo até travessia de balsa Santos –Guarujá, em direção à cidade de São Paulo. A visitação é gratuita e o pavilhão está exposto no cruzamento da Av. Puglise com a Av. Leomil.


ARMAÇÃO DAS BALEIAS

Localizada na margem do canal de Bertioga, a Armação das Baleias foi um importante marco econômico colonial nos séculos XVIII e XIX. Local que tinha como sua atividade a extração do óleo de baleia, destinado à iluminação pública e ao aproveitamento de seus derivados. Foi a primeira indústria extrativista que funcionou na Ilha de Santo Amaro. A indústria dos produtos de baleia foi uma das permitidas neste período, aqui no Brasil pelos portugueses. Havia uma sucursal da Armação das Baleias na Praia do Góes, hoje inexistente.


ERMIDA DO GUAIBÊ

A Capela do século XVI é encontrada na região próxima à armação das Baleias feita de pedra e óleo de baleia, atualmente em ruínas, é tida como capela quinhentista de Santo Antônio, construída por José Adorno, frequentada pelo Padre Anchieta que nela haveria rezado missas e catequizado índios. O cruzeiro de pedra do século XVI pertencente à Ermida, encontra-se no Museu Paulista (Museu do Ipiranga) na cidade de São Paulo.


SAMBAQUI

Guarujá abriga um dos sambaquis (aglomerados de conchas) mais antigos do país, segundo arqueólogos da USP – Universidade de São Paulo, estas estruturas foram construídas por civilizações pré-históricas há mais de 8 mil anos com intuito de ser um local sagrado e de rituais fúnebres. Foi batizado pelos estudiosos como Sambaqui Monte Cabrão e também já foi registrado no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como parte de um sítio arqueológico na cidade.


Fontes da pesquisa: 

http://portal.guaruja.sp.gov.br/historia-e-cultura/

http://www.nacaoecologica.com.br/index.php/guaruja/origem/item/150-historia-de-guaruja

https://pt.wikipedia.org/wiki/Guarujá

http://nupaub.fflch.usp.br/sites/nupaub.fflch.usp.br/files/Anexo%20II%20-%20Laudo%20Antropol%C3%B3gico%20-%20rev.2%20%281%29%20%282%29.pdf

Famílias Tradicionais
[editar | editar código-fonte]

(Relacione as famílias mais antigas e tradicionais do município, por ordem alfabética de sobrenome e separado por vírgulas.)

Instituições
[editar | editar código-fonte]

Cartórios de Registro Civil, Notas e similares
[editar | editar código-fonte]

  • 1º Tabelião de Notas e de Protesto de Letras e Títulos da Comarca de Guarujá

Telefone: (13) 33083300
Endereço: Rua Santo Amaro, 492 - Guarujá - SP - CEP 11410914
E-mail: cartorio@1tabgja.com.br
Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª feira, das 9h às 18h
Área de abrangência: Município de Guarujá.

  • Oficial de Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Guarujá

Telefone: (13) 33861792
Endereço: Rua Santo Amaro, 292 - Guarujá - SP - CEP 11410070
E-mail: cartorioguaruja@uol.com.br
Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª feira, das 9h às 17h
Área de abrangência: Município de Guarujá.

  • Oficial de Registro de Imóveis, Títulos e |Documentos e Civil de Pessoa Jurídica da Comarca de Guarujá

Telefone: (13) 33471112 / 33476922
Endereço: Rua Mario Ribeiro, 204 - 1º andar - Guarujá - SP - CEP 11410190
E-mail: riguaruja@uol.com.br
Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª feira, das 9h às 18h
Área de abrangência: Município de Guarujá.


Cemitérios
[editar | editar código-fonte]

  • Cemitério Jardim da Paz
    Av. Lídio Martins Correia - Vl Zilda
    CEP: 11436-010 - Guarujá / SP
    Telefone:(13) 3387-5198
  • Cemitério da Saudade
    Av. Da Saudade - Jd São Miguel
    CEP: 11440-180 - Guarujá / SP
    Telefone:(13) 3384-3154

Centros de História da Família
[editar | editar código-fonte]

(Inclua o(s) nome(s) do(s) Centro(s) de História da Família existente(s) no município. Utilize a opção Inserir Hiperlink para ligá-lo à página do Centro na Wiki.)

Locais de Registros Religiosos
[editar | editar código-fonte]

(Inclua as igrejas e outras instituições ligadas a estas, como dioceses, arquidioceses e escritórios, existentes no municípios, bem como endereço, telefone, e-mails e links para páginas virtuais, se houver.)

Outros Locais e Instituições
[editar | editar código-fonte]

As Bibliotecas Municipais estão abertas e com um vasto acervo para consulta, pesquisa e empréstimo à população. O horário de atendimento é de segunda à sexta-feira das 8h às 18h e aos sábados das 9h às 17h. Maiores informações sobre acervo e funcionamento podem ser esclarecidas pelo e-mailbiblioteca@guaruja.sp.gov.br ou pelo telefone (13) 3341-7845 / (13) 3386-6041.

  • Biblioteca Municipal Geraldo Ferraz
    Rua Ceará, s/nº, esquina com a Rua Maranhão
    Vila Alice - Vicente de Carvalho
    CEP: 11.450-400
  • Biblioteca Municipal Profª Maria Aparecida Ramos Camargo
    Rua Poeta Gregório de Matos, 71
    Jd. Brasil II
    CEP: 11.497-000
  • Biblioteca Municipal Martins Fontes
    (desativada temporariamente)
    Rua Quintino Bocaiúva, 183 – fundos
    Centro
    CEP: 11.410-030
  • Biblioteca Municipal Sergio Pereira Rodrigues
    Av. Atlântica, 1516
    Cidade Atlântica
    CEP: 11.442-070
  • Biblioteca Municipal Ver. Ary da Silva Souza
    Rua José Terto dos Santos Filho, 136
    Jd. Mar e Céu
    CEP: 11.444-530
  • Biblioteca Municipal Benedicta Blac Gonzalez
    Av. Rio Solimões, s/nº
    Jd. Umuarama – Perequê
    CEP: 11.446-090
  • Biblioteca Municipal 1º de Maio
    Av. Adriano Dias dos Santos, 611
    Jd. Boa Esperança
    CEP: 11.470-220

(Inclua Associações, Arquivos Públicos, Bibliotecas, Institutos Históricos, Museus, Prefeituras e qualquer outra instituição que possa conter acervo de interesse para a História da Família ou que possa servir de meio para contato no município; inclua endereços, telefones para contato, e-mails e links para páginas virtuais, se houver. Relacione-os em ordem alfabética.)

Outros Recursos de Pesquisa
[editar | editar código-fonte]

(Inclua outros recursos que possam ser utilizados para pesquisa específica no município, como comunidades online, páginas pessoais, etc.)

Bibliografias
[editar | editar código-fonte]

(Inclua livros já publicados relacionados à localidade.)

  • RoteiroBR - Guarujá - O Ano Inteiro! - Editora: RoteiroBR

Referências
[editar | editar código-fonte]

  1. https://pt.wikipedia.org/wiki/Guarujá
  2. http://cod.ibge.gov.br/2322K
  3. http://cod.ibge.gov.br/35B9
  4. http://portal.guaruja.sp.gov.br/bibliotecas/
  5. http://www.listaamarela.com.br/atividade/sp/guaruja/cemiterios
  6. http://www.cartoriosp.com.br/localize-um-cartorio.aspx