Se você não conseguir editar a wiki após o login, você precisará solicitar direitos de edição usando este formulário. Você será notificado assim que tais direitos de edição lhe forem concedidos.

Fátima do Sul, Mato Grosso do Sul - Genealogia

Fonte: FamilySearch Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Brasil Gotoarrow.png Mato Grosso do Sul Gotoarrow.png Fátima do Sul

(Inclua nesta página dados deste município. As informações em itálico são apenas orientações e deverão ser suprimidas assim que os conteúdos forem incluídos.)


Mato Grosso do Sul Municip Fátima do Sul.svg.png

Localização: Mesorregião Sudoeste de Mato Grosso do Sul
                   Microrregião Dourados
Área: 315,237 km²
Distância da Capital: 248Km

Datas
[editar | editar código-fonte]

(Inclua datas históricas relacionadas ao município, como data de fundação, emancipação política, etc.)

Antigas Denominações
[editar | editar código-fonte]

Desde o início do povoamento vários nomes recebia o vilarejo: Barranca, Porto Ubatuba, Porto Vitória, entre outros.

No dia 08 de Novembro de 1.953 veio ao povoado o Frei Frederico Miés para celebrar a primeira missa. A qual após o seu término, o povo ali presente perguntou ao Padre que nome deveria ser dado à Vila, o Padre pensando por alguns instantes logo respondeu: – Como aqui tem gente vinda de todos os recantos do País acho que deveria ser dado o nome de “Vila Brasil”, o que foi acolhido e adotado por todos.

Na ânsia de intensificar e aprofundar a colonização, Vila Brasil não tinha mais condições de abrigar a sua crescente população, no dia 09 de Julho de 1954, 450 (quatrocentos e cinqüenta) homens aproximadamente, resolveram contra a vontade da administração do núcleo colonial de Dourados, invadir a margem direita do Rio Dourados, e encima de algumas marcações de lotes rurais, cortaram por conta própria e doaram para aqueles que se dispusessem a construir sua casa em 90 (noventa) dias; com isso, concretizou-se a humanização da margem direita do Rio Dourados.

A administração do núcleo colonial de Dourados era contrária a invasão porque não admitia que fosse formada uma cidade nessa localidade, pois, o projeto de colonização, constava a formação de uma cidade mais para o centro, localizada atualmente onde é Glória de Dourados. Os moradores de Vila Brasil não se conformaram com a situação e não se renderam, as invasões continuaram, e dia a dia era alojadas a interiorização e colonização da região. Nos dias de Domingo, havia intensa comercialização por intermédio de uma feira livre, para a qual fora reservado uma área especialmente destinada a esse fim, localizada na atual Avenida 09 de Julho, onde se acha construída a agência do Banco do Brasil.

Em 12 de Outubro de 1954, foi construída a primeira capela, com o nome de Nossa Senhora Aparecida à margem direita do Rio Dourado, sob os cuidados do Padre José Daniel.

Em 30 de Maio de 1957, foi inaugurada a Igreja Matriz provisória, localizada nos fundos do atual prédio da Câmara Municipal.

Em 17 de Novembro de 1958, Vila Brasil é elevada a categoria de distrito do Município de Dourados pela Lei Estadual nº 1.125, oriunda de um projeto apresentado pelo Deputado Estadual Wilson Dias Pinho, engenheiro, funcionário do núcleo colonial de Dourados e eleito pelos eleitores desta colônia. A área do Distrito de Vila Brasil, quando a sua criação era muito grande, abrangia as áreas dos atuais Municípios de Jateí e Glória de Dourados.

Imediatamente instalou-se no Distrito de Vila Brasil a Sub-prefeitura, tendo como sub-prefeito o Sr. Atílio Torraca Filho; a Coletoria Estadual, tendo como coletor o Sr. Heitor Silveira dos Santos e como sub-Delegado de Polícia o Sr. José Alves da Silva.

Em 17 de Maio de 1.959, chega ao Distrito de Vila Brasil, o Padre José Pascoal Busatto.

Em 1963 é iniciado um movimento visando a emancipação do distrito de Vila Brasil, com a finalidade elevá-lo á Município. Formou-se uma comissão sob a Presidência do Sr. José Alves da Silva e composta pelos Srs. Elpídio Dias de Souza, Antonio Granja de Souza, o médico Blasco Miranda de Ourofício e Sr. João Castro Ribeiro, conhecido popularmente por João Piauí, munidos de um anteprojeto contendo os limites do futuro município, dados estatísticos, renda, população etc.

Em 11 de Junho de 1.963 a comissão seguiu com destino a Cuiabá, onde mantiveram contato com a Assembléia Legislativa, fazendo exposições e justificando a necessidade de concretizar os anseios da população do Distrito de Vila Brasil, salientando as dificuldades então existentes, devido a necessidade de deslocamento à cidade de Dourados, para efetuarem suas transações bancárias com vista a empreendimentos financeiros para aumento das atividades agro-pecuárias.

Em 31 de Agosto de 1.963, foi criada a paróquia de Vila Brasil, tendo como primeiro vigário o Padre Amadeu Amadori, coadjunto do Padre José Pascoal Busato.

A comissão pela emancipação política administrativa do Distrito de Vila Brasil, viu coroado de êxito os seus incessantes trabalhos em 11 de Dezembro de 1.963, com a promulgação da Lei 2.057 pela qual é elevada a categoria de Município.

Em 20 de dezembro de 1963, a Lei Estadual n◦ 2.095, cria o Distrito de Vicentina, anexado ao Município de Vila Brasil.

Em 18 de Agosto de 1964, tiveram início as obras da atual Igreja Matriz. Em 28 de Outubro de 1964, pela Lei nº 2.152, o Município foi elevado a categoria de comarca de primeira entrância.

No início de 1964, foram realizadas as primeiras eleições do Município de Vila Brasil, sendo eleitos como Prefeito o Sr. Antonio Gabriel Moreira (Vigorelli) e Vice o Sr. Reinaldo dos Santos Moraes, que tomaram posse em 02 de Maio de 1.965.

Na primeira seção legislativa, já foi votado o projeto de Lei n◦ 1, criando uma comissão para cuidar da mudança do nome do Município de Vila Brasil. Não correspondia mais a realidade, ter como nome o Vila. Iniciou-se uma extensa campanha popular, juntamente com os vereadores. Foi feita uma coleta de nomes preferidos pela opinião pública e nomeada uma comissão específica para escolher os dez nomes mais sugestivos para o Município, os quais seriam submetidos a plebiscito.

Entre os nomes concorrentes a Comissão especial selecionou os seguintes: Porto Vitória, Marechal Rondon, Fátima do Sul, Campinas do Sul, Novo Planalto, Rio Brasil, Pira-Porã, (Brasilândia) Brasiporã, Novo Brasil e Culturama.

Realizado o plebiscito, mereceu o maior número de votos o nome de Fátima do Sul, seguido de Culturama e Novo Planalto. Assim, em 16 de junho de 1965, a Câmara Municipal de Vila Brasil, aprova a Lei n◦ 6, mudando o nome do Município para Fátima do Sul, tendo sido confirmado pela Lei Estadual n◦ 2.591, de 31 de dezembro de 1965. Nascia assim, definitivamente, o toponímico “Fatimassulense”, nosso querido “Favo de Mel”.

Por motivo de saúde, o Prefeito Antonio Gabriel Moreira se licenciou do cargo, assumindo a Prefeitura o Sr. Reinaldo dos Santos Morais,em 04 de junho de 1966.

Municípios Circunvizinhos
[editar | editar código-fonte]

Localidades
[editar | editar código-fonte]

(Inclua sublocalidades do município que sejam significativas, tais como povoados, fazendas, estâncias, etc.)

História
[editar | editar código-fonte]

O atual Município de Fátima do Sul teve sua origem no Decreto-Lei nº 5.941 de 28 de outubro de 1943, do Presidente da República Dr. Getúlio Dornelles Vargas, criando a C.A.N.D. – Colônia Agrícola Nacional de Dourados, subordinada ao Ministério da Agricultura, posteriormente denominada Colônia Federal, com a finalidade de dividir uma extensa área de terra em lotes rurais de 30 hectares, cada um com um fim específico de oferecer um pedaço de chão à pequenos lavradores onde pudessem trabalhar e tirar o sustento de suas famílias.

A administração da Colônia Agrícola Nacional de Dourados, dando início aos trabalhos para concretizar os objetivos de sua criação, começaram a abrir “picadas” com enorme sacrifício devido a ausência de equipamento, más assim mesmo com humanização foi interiorizada e alargando os horizontes da colonização. Em 1.953, a primeira zona do núcleo colonial de Dourados estava totalmente colonizada.

Apesar de não estar no planejamento da administração do núcleo colonial de Dourados uma imediata expansão, mas devido a constante chegada de enorme quantidade de migrantes a região, tornou-se necessária a abertura de novas “picadas” em direção a Leste, uma das quais é o marco inicial da atual BR-376, que liga Dourados a Fátima do Sul. A permanente interiorização fez com que um aglomerado de famílias instalasse um povoado a margem esquerda do Rio Dourados, atual Vila Nossa Senhora dos Navegantes, com centenas de ranchos de pau-a-pique cobertos de sapé ou tabuinha, os quais além de alojarem as famílias serviram também como instalação dos primeiros armazéns, farmácias e as casas de tecidos.

Famílias Tradidicionais[editar | editar código-fonte]

Torraca, Silveira dos Santos, Alves da Silva, Bussato, Dias, De Souza, Granja, Miranda, Leite, Castro Ribeiro, Moreira, Vigorelli, Santos Moraes, Chafic Garib, Corrêa, Câmara, David, Deguti, Vieira, Salgado Machado, Vasconcelos, Albuqueque, Santiafo, Santana, Nasciomento, Farias, Monteiro, Oliveira.

Instituições
[editar | editar código-fonte]

Cartórios de Registro Civil, Notas e similares
[editar | editar código-fonte]

(Inclua as unidades cartoriais do município, bem como endereço, telefone, e-mails e links para páginas virtuais, se houver.)

2º tabelionato de notas e ofício de registro civil das pessoas naturais

Tabelionato Miyashita

Endereço: Rua Marechal Rondon, 1392

Bairro: Centro

Distrito: Fátima do Sul

Cidade: Fátima do Sul

CEP: 79700-000

Estado: Mato Grosso do Sul

Telefone: (0xx67) 3467-1365

Email: mariomikio@hotmail.com

Cemitérios
[editar | editar código-fonte]

Cemitério Municipal Jardim da Saudade

Endereço: R. Helena A Sobrinho, 489-607, Fátima do Sul - MS, 79700-000


Centros de História da Família
[editar | editar código-fonte]

(Inclua o(s) nome(s) do(s) Centro(s) de História da Família existente(s) no município. Utilize a opção Inserir Hiperlink para ligá-lo à página do Centro na Wiki.)

Locais de Registros Religiosos
[editar | editar código-fonte]

Igreja Matriz Nossa Senhora de Fátima

1421,, R. Ten. Antônio João, 1321, Fátima do Sul - MS, 79700-000

Outros Locais e Instituições[editar | editar código-fonte]

PREFEITURA MUNICIPAL DE FÁTIMA DO SUL

R. Mal. Rondon, 1356 - Marta Rocha, Fátima do Sul - MS, 79700-000

Telefone: (67) 3467-7500[editar | editar código-fonte]

Outros Endereço:[editar | editar código-fonte]

(Inclua outros recursos que possam ser utilizados para pesquisa específica no município, como comunidades online, páginas pessoais, etc.)

Bibliografias
[editar | editar código-fonte]

(Inclua livros já publicados relacionados à localidade.)

Referências
[editar | editar código-fonte]

  1. https://pt.wikipedia.org/wiki/Fátima_do_Sul
  2. http://cod.ibge.gov.br/236W3