Se você não conseguir editar a wiki após o login, você precisará solicitar direitos de edição usando este formulário. Você será notificado assim que tais direitos de edição lhe forem concedidos.

Angra dos Reis, Rio de Janeiro - Genealogia

Fonte: FamilySearch Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Brasil Gotoarrow.png Rio de Janeiro Gotoarrow.png Angra dos Reis

AngradosReisRJ.svg.png

Localização: Mesorregião Sul Fluminense
Área: 800,430 km²
Distância da Capital: 157 km

População no último censo

169.511 pessoas

Datas[editar | editar código-fonte]

Recebeu este nome por ter sido descoberta pelo navegador André Gonçalves no dia 6 de janeiro de 1502, o dia dos reis magos.

Tornou-se vila em 1608, com o nome de Vila dos Reis magos da Ilha grande. Foi elevada à categoria de cidade em 1853, com o nome atual de Angra dos Reis.(Inclua datas históricas relacionadas ao município, como data de fundação, emancipação política, etc.)

Antigas Denominações[editar | editar código-fonte]

(Inclua antigos nomes que o município tenha tido.)

Municípios Circunvizinhos[editar | editar código-fonte]

Localidades[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão territorial datada de 18 de dezembro de 1988, tendo assim permanecido na divisão de 2007, o município de Angra dos Reis é constituído de 6 distritos: Angra dos Reis (sede), Abraão, Cunhambebe, Jacuecanga, Mambucaba, e Praia de Araçatiba.

História[editar | editar código-fonte]

Angra dos Reis é um município brasileiro situado no sul do estado do Rio de Janeiro. Localiza-se a uma altitude média de seis metros e possui, em seu litoral, 365 ilhas.[7] Antes da chegada dos europeus, era habitada por tribos indígenas tupinambás. Foi descoberta pelos portugueses em 6 de janeiro de 1502, sendo colonizada apenas a partir de 1556. Sua população, aferida no Censo de 2010, era de 169 270 habitantes.[4] Possui uma área de 816,3 km². Os municípios limítrofes são Parati, Rio Claro e Mangaratiba, no território fluminense e Bananal e São José do Barreiro, no lado paulista.

Após 1872, entrou em decadência com a inauguração das estradas de ferro. Voltou a ocupar posição de destaque, a partir de 1928, quando um ramal da Rede Mineira de Viação a ligou aos estados de Minas Gerais e de Goiás, por ele escoando sua produção agrícola. O ramal ferroviário, em bitola métrica, ainda existe, sendo operado atualmente pela Ferrovia Centro-Atlântica, estando em recuperação devido aos deslizamentos de terra nos últimos anos. Em meados do século XX, tornou-se crucial na implantação da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), em Volta Redonda, sendo o porto por onde a mesma era abastecida de carvão de coqueproveniente de Santa Catarina. Atualmente, a empresa também utiliza o porto para exportar aço.

Sua importância atual dá-se pelo fato de ter, como instalação subordinada, o terminal marítimo da Baía da Ilha Grande (TEBIG), da Petrobras, localizado na região da Ponta Leste. O terminal movimenta grandes quantidades de petróleo e posiciona o porto de Angra como um dos mais movimentados do país. Além disso, sedia atualmente as únicas usinas nucleares em funcionamento no Brasil. Atualmente, devido à beleza de suas praias e das regiões próximas, Angra virou ponto forte do turismo não só estadual, mas também nacional. Possui 97 ilhas, muitas delas tendo por donos celebridades nacionais e internacionais, sendo a maior de todas denominada de Ilha Grande.

A maior parte da cidade é cercada por morros, o que contribuiu para que, no início de 2010, várias residências e pousadas sofressem com os efeitos de deslizamentos [8] principalmente na Ilha Grande.[9][10]. Segundo o censo 2010, em Angra cerca de 36% de sua população vive em favelas, situados em morros ou áreas de mangues.Isto coloca o município em décimo lugar das cidades brasileiras, no que tange a proporção de domicílios em favelas do país.[11]

Uma expedição portuguesa comandada por Gonçalo Coelho, chegou, em 6 de janeiro de 1502, a uma baía ou angra que a todos encantou. Batizaram-na, então, de Angra dos Reis, em homenagem à visita dos Três Reis Magos ao menino Jesus, que é comemorada nesse dia. A vila ali construída recebeu inicialmente o nome de Vila dos Três Santos Reis, depois Vila de Angra dos Reis e finalmente Angra dos Reis [12].

Cronologia de eventos históricos[editar | editar código-fonte][editar | editar código-fonte]

  • 1502 - Chegada da expedição portuguesa de Gonçalo Coelho
  • 1532 - A expedição colonizadora portuguesa de Martim Afonso de Sousapassou por Angra dos Reis.
  • 1552 - Hans Staden, aventureiro alemão, é feito prisioneiro dos tupinambá na aldeia situada à barra do rio Ariró, região onde se acredita ficavam os nativos chefiados por Cunhambebe.[13]
  • 1556 - Fundação do povoado pelos filhos do capitão-mor Antônio de Oliveira.
  • 1559 - Doação da Ilha Grande ao doutor Vicente da Fonseca por Martim Afonso em carta de 24 de janeiro.[14]
    • Tinha a carta o seguinte teor: “Martim Afonso de Sousa, do conselho de el-rei nosso senhor, capitão e governador da Capitania de S. Vicente, etc. Faço saber a vós meu capitão e ouvidor que ora sois na dita capitania, e aos que ao diante forem, que eu hei por bem fazer mercê ao Dr. Vicente da Fonseca, morador em Lisboa, de uma ilha que está na boca de Angra dos Reis, a qual se chama Ilha Grande, e assim das águas da dita ilha, para poder fazer engenho nela, para ele e todos os seus herdeiros que após dele vierem, fora de todo o tributo, e somente o dízimo a Deus, com condição de sesmaria, pagando-me equipagem a minha capitania da ilha de S. Vicente; pelo que vos mando que logo lhe demarqueis e os metais de posse dela, e lhe deixeis possuir; e da dita posse e demarcação fareis auto no livro da Câmara de S. Vicente, para a todo o tempo se saber como lhe fiz a dita mercê; pelo que lhe mandei passar esta minha provisão, por mim assinada, e selada com o selo de minhas armas. Feita em Lisboa a 24 de janeiro de 1559. – Miguel de... a fez. – Martim Afonso de Sousa. – Cumpra-se esta carta de data do Sr. Martim Afonso de Sousa, como se nela contém. – Jorge Ferreira”
  • 1560 - O governo da metrópole reconheceu o povoado
  • 1593 - Criação da paróquia dos Santos Reis Magos da Ilha Grande por Carta Régia de Filipe I de Portugal e II de Espanha
  • 1608 - Elevação da paróquia à categoria de vila, chamada vila da Ilha Grande
  • 1632 - Imagem de Nossa Senhora da Conceição chegou em Angra dos Reis e tornou-se a padroeira da cidade
  • 1835 - Em 28 de março, a vila da Ilha Grande foi elevada à categoria de cidade pela lei provincial número seis com a denominação de Angra dos Reis
  • 1871 - Construção do paço Municipal (atual prefeitura)
  • 1959 - Fundação da Verolme Estaleiros Reunidos pelo empresário neerlandês Cornelis Verolme.
  • 1972 - Construção da usina Angra I e abertura da rodovia Rio-Santos
  • 1977 - Inauguração do terminal petrolífero da Baía da Ilha Grande.
  • 1985 - Construção da usina Angra II
  • 1993 - Os índios guaranis procedentes do estado de Santa Catarina conseguem a regularização da Aldeia Bracuí, nos arredores de Angra dos Reis[15]
  • 2002 - Deslizamento de terra e inundações atingiram a cidade, deixando, aproximadamente, trinta mortos.
  • 2010 - Maior desastre natural registrado na cidade desde o descobrimento pelos portugueses deixou 55 mortos em desabamentos e desmoronamentos de terra devido às chuvas fortes e de longa duração.

Famílias Tradicionais[editar | editar código-fonte]

(Relacione as famílias mais antigas e tradicionais do município, por ordem alfabética de sobrenome e separado por vírgulas.)

Oliveira

Instituições[editar | editar código-fonte]

Cartórios de Registro Civil, Notas e similares[editar | editar código-fonte]

Cartório do 1º Ofício de Angra dos Reiser.)

Endereço: R. Arcebispo Santos - Centro, Angra dos Reis - RJ, 23900-160

Telefone: (24) 3367-1466

Angra dos Reis Cartório Registro Civil 4º Distrito

Endereço: R. Village Costa Verde, 101-141 - Parque Mambucaba, Angra dos Reis - RJ, 23954-215

Telefone: (24) 3362-4125

RCPN DO 1º DISTRITO DE ANGRA DOS REIS

Angra dos Reis, RJ

  • Endereço: Rua da Conceiçäo, nº 231 1º Andar, Centro, Angra dos Reis- RJ. CEP 23900-437
  • Telefone: (24) 3365-4979
  • E-mail: rcpn1angra@hotmail.com
  • Funcionamento: 9h às 18h de segunda a sexta. 9h às 12h aos sábados, domingos e feriados.
  • Oficial: RAQUEL VIEIRA ABRÃO REZENDE
  • Substituto(a) do Oficial: FABÍOLA IGNEZ DE CASTRO EUGENIO

Cartório de Registro e Tabelionato de Notas do Segundo Distrito

Endereço: R. Paulo Sodré da Nóbrega, 255 - Frade, Angra dos Reis - RJ, 23946-025

Telefone: (24) 2404-5005

Cemitérios Cemiterio de Mambucaba:[editar | editar código-fonte]

Endereço: R. do Cemitério - Vila Histórica de Mambucaba, Angra dos Reis - RJ, 23900-000

Telefone: (24) 3362-2255

Cemitério do Belém:

Endereço: R. São Pedro - Parque Belém, Angra dos Reis - RJ

Telefone: (24) 3368-6630

Cemitério Municipal

Endereço: R. da Conceição - Centro, Angra dos Reis - RJ, 23900-090

Telefone: (24) 3377-4076

Centros de História da Família[editar | editar código-fonte]

(Inclua o(s) nome(s) do(s) Centro(s) de História da Família existente(s) no município. Utilize a opção Inserir Hiperlink para ligá-lo à página do Centro na Wiki.)

Locais de Registros Religiosos[editar | editar código-fonte]

(Inclua as igrejas e outras instituições ligadas a estas, como dioceses, arquidioceses e escritórios, existentes no municípios, bem como endereço, telefone, e-mails e links para páginas virtuais, se houver.)

Outros Locais e Instituições[editar | editar código-fonte]

(Inclua Associações, Arquivos Públicos, Bibliotecas, Institutos Históricos, Museus, Prefeituras e qualquer outra instituição que possa conter acervo de interesse para a História da Família ou que possa servir de meio para contato no município; inclua endereços, telefones para contato, e-mails e links para páginas virtuais, se houver. Relacione-os em ordem alfabética.)

Outros Recursos de Pesquisa[editar | editar código-fonte]

(Inclua outros recursos que possam ser utilizados para pesquisa específica no município, como comunidades online, páginas pessoais, etc.)

Bibliografias[editar | editar código-fonte]

(Inclua livros já publicados relacionados à localidade.)

SCHNOOR, Eduardo Cavalcanti - Escravos e cidadãos na Ilha Grande: a alvorada republicana demorou a chegar

https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-59702012000500013&script=sci_abstract&tlng=pt

VASCONCELLOS, Marcia Cristina Roma de e outros - Famílias escravas em Angra dos Reis, 1801/1888

bdtd.ibict.br/vufind/Record/USP_1f34b66ffddbf251bc219a66a8239681

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. https://pt.wikipedia.org/wiki/Angra_dos_Reis
  2. http://cod.ibge.gov.br/233Y4
  3. http://www.cartorioangradosreis.com.br/
  4. https://www.rcpn1angra.com.br/
  5. https://www.google.com.br/search?newwindow=1&q=cartorios+em+angra+dos+reis+rj&npsic=0&rflfq=1&rlha=0&rllag=-23011200,-44428178,11245&tbm=lcl&ved=0ahUKEwiUj76TpOrZAhULlJAKHY-RCnMQjGoIYw&tbs=lrf:!2m1!1e2!2m1!1e3!3sIAE,lf:1,lf_ui:2&rldoc=1#rlfi=hd:;si:5008653351980008480;mv:!1m3!1d28771.631069050618!2d-44.428178949999996!3d-22.987972999999997!2m3!1f0!2f0!3f0!3m2!1i717!2i188!4f13.1
  6. https://www.google.com.br/search?newwindow=1&site=async/lcl_akp&q=cemit%C3%A9rio+municipal+telefone&sa=X&ved=0ahUKEwirxcqop-rZAhVIE5AKHUxcDLMQ6BMIGDAF
  7. http://cidadebrasileira.brasilescola.uol.com.br/rio-janeiro/historia-angra-dos-reis.htm
  8. https://pt.wikipedia.org/wiki/Angra_(enseada)
  9. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/angra-dos-reis/panorama